Nosso colega e artista plástico, Heberth Sobral, retrata a violência urbana em sua nova exposição. Heberth criou a série Violência Não é Brincadeira, com fotos que retratam situações cotidianas, usando como personagens bonecos Playmobil. Na exposição, a violência, mesmo quando real, vira entretenimento.

Antes de trabalhar na Africa, o artista plástico trabalhou ao lado do artista plástico Vik Muniz como assistente em seu atelier no Rio de Janeiro, no projeto cuja temática era a mitologia grega, mas que tinham como suporte de criação a sucata ao invés da tela ou papel.

Agora, em sua nova exposição, Heberth se inspirou nas notícias que vê na TV para criar as montagens. Por isso, entre seus bonecos estão traficantes de drogas, moradores de rua, vítimas de enchente e torcedores em conflito com a polícia. Ele aproveita partes dos cenários e os mesmos personagens em várias situações, mudando apenas a caracterização e os acessórios que cada um utiliza.

“Usei diversas maquetes retratando a sociedade e seus problemas, com a utilização de bonecos Playmobil. O sorriso irônico ao assaltar transeuntes, a tranqüilidade de ser fotografado com 10 kilos de cocaína, a felicidade de tortutar com um saco plástico. O carioca está sempre sorrindo, tudo é carnaval para o sangue bom: não existem preocupações ou problemas. Infelizmente, a maquiagem dos falsos sorrisos dura pouco, e a violência não é brincadeira”, explica Herbeth.

O trabalho começou no segundo semestre do ano passado, e o artista selecionou suas 10 peças favoritas para uma coletiva que acontece em junho, na galeria Vilaseca (Rua Ataulfo de Paiva, 1079, subsolo 109).